Lesão de meniscos


Lesão de meniscos

As lesões meniscais ocorrem por traumas indiretos e principalmente os rotacionais, ou em longos processos degenerativos do menisco. Os meniscos são estruturas constituídas em 75% de fibras colágenas circulares com formato semicircular em forma de meia lua. Cada joelho possui dois meniscos, um na parte interna (menisco medial) e outro na parte externa (menisco lateral). Possuem as funções da absorção de impactos e permitem que os ossos se articulem adequadamente aumentando a estabilidade da articulação. O menisco medial é lesado três vezes mais que o lateral, ocorre principalmente no final da adolescência, com maior número de casos na terceira e quarta décadas de vida, tendo como causa principal o trauma da articulação, após os 50 anos acomete principalmente a artrite do joelho. Apresentam vários tipos de lesão como: - rupturas parcial, - total e - complexa, Quanto à localização e estabilidade em: - lesão oblíqua, - transversa ou radial, - horizontal, - longitudinal e - degenerativa. Ruptura do menisco pode ocorrer sozinha ou associada à ruptura de ligamento. A característica clínica da lesão é importante na programação de tratamento e no prognóstico. Inicialmente aparece a dor e derrame, com impotência funcional relativa, com duração de uma a duas semanas e pode até desaparecer para logo voltar em nova crise. Existem casos mais graves em que a lesão meniscal bloqueia a articulação, sendo considerada uma urgência em ortopedia.

Sinais e Sintomas: - Dor importante no momento da entorse, podendo ser acompanhada de sensação de estalido ou mesmo estalido audível; - Bloqueio da movimentação do joelho, com limitação da flexão e/ou extensão; - Ressalto durante a movimentação do joelho; - Dor aguda ao se agachar; - Edema e derrame articular no joelho podem estar presentes ou não.

O diagnóstico é feito pelo ortopedista através de exame clínico e manobras específicas que facilitam na identificação da lesão assim como na sua localização. Exame de Ressonância Magnética é útil não só como método auxiliar para diagnóstico como também para o tratamento, pois permite avaliar o tipo e localização da lesão do menisco e a presença de outras lesões associadas. SAIBA MAIS: - O joelho depende de estruturas de suporte, como ligamentos, a cápsula da articulação e os meniscos e que garantem a estabilidade. - A lesão meniscal caracteriza-se por crises com intervalos assintomáticos. - O indivíduo, geralmente, conta uma história de queda, rotação do joelho ou outro trauma, sente dor no joelho, apresenta-se mancando e a articulação mostra crepitações e limitação do movimento. - As localizações da lesão têm importância devido a sua vascularização podendo ser dividida em: ZONA VERMELHA de localização mais periférica e mais vascularizada, portanto com maior índice de cicatrização; ZONA VERMELHA / BRANCA com localização intermediária e com vascularização variável; ZONA BRANCA localizada no 1/3 central e com vascularização pobre. - A avaliação da idade, grau de atividade, tipo de lesão e localização determinará o tipo de tratamento a ser realizado. - Os ligamentos trabalham em conjunto com os meniscos e freqüentemente nas lesões agudas, ocorre comprometimento de mais de uma estrutura. O exame para instabilidade do joelho é imprescindível se for constatada patologia do menisco, devido à forte associação entre lesões do menisco e ligamento cruzado - A lesão do menisco geralmente ocorre por trauma rotacional. Com o pé apoiado no solo, a rotação se faz no fêmur – para dentro, nas lesões internas. E para fora, nas externas. - Pelo próprio mecanismo de lesão depreende-se que a lesão de menisco é sempre unilateral, sendo praticamente impossível ocorrer nos dois joelhos ao mesmo tempo. - Os testes para frouxidão dos ligamentos são obrigatórios, lembrando que o índice de lesão meniscal associada à lesão ligamentar varia de 34% a 98% dos casos. - As manobras de Apley, McMurray costumam ser suficientes para, com a história clínica, confirmar o diagnóstico de lesões meniscais. - A artroscopia é um procedimento que permite visão direta do menisco, sendo usada tanto para procedimentos diagnósticos como de tratamento das lesões meniscais. Um destes tratamentos consiste na meniscectomia, que é a remoção cirúrgica de parte do menisco. A recuperação total da função do joelho ocorre em 4-6 semanas. - A sutura meniscal é realizada nas lesões em que se é possível, neste caso são dados pontos para a fixação da lesão. - A retirada do menisco, em idade precoce, está associada com um risco maior de osteoartrite em idade mais jovem, a alternativa que previne essa complicação é o transplante de menisco.

É importante que as pessoas que pretendem praticar exercícios procurem orientação médica esportiva e com o fisioterapeuta antes e durante a prática, para evitar complicações futuras.

#Lesãodemeniscos #drLeokahn

3 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :