Doença Renal Policistica (DRP)


Doença Renal Policistica (DRP)

Doença relativamente comum, progre

ssiva e hereditária, determinada por mutações nos genes, que se manifesta em ambos os sexos, não importa idade e etnia, mas parece haver fatores ambientais envolvidos. A principal característica é a formação de inúmeras dilatações diferentes tamanhos em alguma parte do néfron que é a unidade funcional dos rins encarregada de filtrar o sangue e eliminar a urina. Esses cistos renais contêm material líquido semelhante ao plasma sanguíneo (cistos simples) ou semissólido (cistos complexos), em seu interior, e podem afetar um ou os dois rins. Cistos simples, em pequeno número, isolados, com superfície regular, podem surgir nos rins à medida que as pessoas envelhecem sem constituir problema mais sério de saúde. Na DRP são em grande número, afetam os dois rins e podem estar associados ao aparecimento de cistos no fígado, pâncreas, vasos sanguíneos, vesículas seminais, coração e cérebro. A doença renal policística é herdada através dos membros de uma família, geralmente, como um traço autossômico dominante. Se um dos pais carrega o gene, os filhos têm 50% de chance de desenvolver a doença. A DRP autossômica dominante ocorre tanto em crianças quanto em adultos, sendo muito mais comum em adultos. Os sintomas geralmente não aparecem até a meia idade e acomete aproximadamente um em cada 1.000 pessoas nos EUA. A forma autossômica recessiva aparece na infância ou adolescência. É menos frequente do que a autossômica dominante, mas tende a ser muito séria e piorar rapidamente. Ela pode causar doenças pulmonares e hepáticas graves, doença renal terminal e colocam a vida em risco.

Sinais e Sintomas: Na grande maioria dos casos, no início, os cistos são assintomáticos. Com a evolução do quadro as queixas mais frequentes são: - Dor nas costas, - Cansaço, - Edema, - Náusea, - Hematúria, - Infecções urinárias, - Cálculo renal, - Hipertensão arterial, - Proteinúria, Doença diverticular do intestino e Aneurisma intracraniano são comorbidades que podem estar associadas aos rins policísticos. O diagnóstico é realizado por acaso durante exames de rotina, ou porque surgiram sintomas sugestivos de algum tipo de disfunção renal. Nesses casos, após o histórico do paciente e exame físico o médico solicita exames de imagem, como ultrassom, ressonância magnética e tomografia computadorizada do abdômen para complementação.

SAIBA MAIS: - A doença renal policística é hereditária, mas em alguns casos, pode ser provocada pela mutação espontânea do gene que, depois passa a ser transmitido para as futuras gerações. - Mantenha os níveis da pressão arterial nos valores adequados. - Parentes próximos, de primeiro grau e maiores de 18 anos devem ter avaliação precoce das condições renais. - Beba bastante líquido. - Evite a ingestão de cafeína em excesso. - Evite o cigarro. - A doença renal policística adquirida que não é hereditária nem provoca o aparecimento de cistos em outros órgãos. Ela ocorre em pacientes com uremia prolongada ou fazendo hemodiálise há muito tempo, e representa uma complicação grave da doença renal. - Alterações nas dosagens ideais de creatinina e ureia registrada nos exames de sangue podem ser úteis para estabelecer o diagnóstico e acompanhar a evolução da insuficiência renal crônica. - Os cistos renais não constituem sinal de lesão pré-maligna, no entanto, exigem atenção e acompanhamento médico periódico de um especialista. Além dos danos que provocam no organismo, o fato de serem numerosos e aumentarem progressivamente de tamanho, pode representar um risco para o diagnóstico tardio de um tumor que, acaso, se instale entre eles, procure seu médico.

#DoençaRenalPolicistica #drLeokahn

69 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :