Narcolepsia


Narcolepsia Sono é um processo ativo que envolve a suspensão temporária de atividades motoras voluntárias e de percepção sensorial, sendo dividido em lento (não REM) e com atividade cerebral rápida (REM). Normalmente, durante a noite, os sonos não REM e o REM alternam-se ciclicamente e repetem-se a cada 70 a 110 minutos, com quatro a seis ciclos/noite. A narcolepsia é uma desordem neurodegenerativa crônica caracterizada por sonolência excessiva e manifestações dissociativas do sono REM, como cataplexia (crise inesperada de fraqueza muscular sem perda dos sentidos), paralisia do sono, alucinações e sono REM precoce. A dificuldade para que o indivíduo se mantenha acordado pode ocasionar um sono súbito durante o dia, frequentemente ocorrem depois de não ter dormido o suficiente durante a noite, afetando o estudo, trabalho e vida social. A narcolepsia com cataplexia acomete de 15 a 50/100 mil habitantes e a prevalência sem cataplexia é de 56/ 100 mil habitantes, com pico de incidência na segunda década de vida, na proporção de 1,4 a 1,80 homem/mulher. Em alguns casos o distúrbio costuma afetar pessoas com antecedentes familiares, mas a causa ainda é desconhecida.

Fatores de risco: - Hereditariedade. - Obesidade. - Diabetes. - Estresse. - Alterações hormonais. - Falta de hipocretina no cérebro, estimula as células cerebrais e ajuda a promover o estado de vigília. - Infecção. - Reações autoimunes.

Sinais e Sintomas: - Dificuldade de memória. - Diminuição da capacidade de raciocínio e concentração. - Depressão - Episódios de sono durante o dia. - Perda súbita do controle e força muscular. - Paralisia do sono. - Alucinações.

O diagnóstico é baseado no histórico do paciente, exame físico e principalmente pelo teste de polissonografia e testes de múltipla latência do sono, que envolve monitoramento e registro da atividade do cérebro, coração, respiração, músculos, olhos e várias outras funções do corpo, incluindo o movimento dos membros. Exames de imagens como TC ou RM geralmente não detectam anormalidades advindas da narcolepsia.

Saiba mais: - Várias funções são atribuídas ao sono. - A hipótese mais simples é a recuperação pelo organismo de um possível débito energético estabelecido durante a vigília. - Outras funções são atribuídas especialmente ao sono REM, tais como manutenção do equilíbrio geral do organismo, das substâncias químicas no cérebro que regulam o ciclo vigília-sono, consolidação da memória, regulação da temperatura corporal, entre outras. - Os estágios do sono durante a noite podem ser alterados por vários fatores, como ingestão de álcool ou drogas, temperatura ambiente, ritmo circadiano, idade e algumas patologias. - Geralmente o não REM concentra-se na primeira parte da noite, enquanto o REM predomina na segunda parte. - Alucinações hipnagógicas ocorrem em cerca de um terço das pessoas com narcolepsia. - A paralisia do sono caracteriza-se por uma incapacidade total para se mover, ocorrendo ao adormecer ou, mais comumente, ao despertar. - Movimentação excessiva durante o sono e a insatisfação com o mesmo podem ocorrer em até 90% dos pacientes, principalmente acima dos 35 anos de idade. - Episódios de comportamentos automáticos acontecem entre 8% a 40% dos casos automáticos com amnésia, variando desde atos repetitivos até dirigir um veículo. - Podem ocorrer deficits de atenção alterando a capacidade de rendimento em tarefas psicomotoras mais longas, monótonas e repetitivas, dependentes do nível de alerta.

Procure um médico.

#Narcolepsia #drLeokahn

5 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :