Deficiência de molibdênio


Deficiência de molibdênio Elemento mineral absorvido pelo estômago e intestino delgado, é encontrado especialmente no fígado, sendo excretado pela urina e também pela bile. Atua na síntese metabólica de hidratos de carbono, gorduras e proteínas, através da sua função enzimática, auxiliando também na formação dos ossos e esmalte do dente. Esse oligoelemento é um poderoso antioxidante e desintoxicante do organismo, diminuindo a formação de radicais livres, auxiliando como antiaging, na libido, fertilidade, anemia e formação de enzimas digestivas. Apesar de ser raro, o deficit genético no cofator que acompanha esse mineral nas reações bioquímicas pode causar distúrbios neurológicos severos e oftálmicos em crianças. O molibdênio está presente na liberação do ferro transportado pela ferritina e no metabolismo do cobre. O seu excesso no organismo está associado à hipercolesterolemia, hipertensão arterial, gota, hipoparatireoidismo, baixa relação entre estrógeno e progesterona quando há deficiência conjunta de cobre, perda de elasticidade de tendões e níveis elevados de ácido úrico.

Sinais e sintomas: - Taquicardia. - Letargia. - Cefaleia. - Taquipnéia. - Náuseas. - Vômitos. - Desorientação. - Coma.

O diagnóstico é realizado pela história clínica, exames físico e, principalmente, pelo laboratorial do nível sérico de molibdênio com referência de até 3 ug/L.

Saiba mais: - Existem cerca de 50 enzimas no corpo que necessitam do mineral. - Nitrito oxidase é especialmente ativo no trato gastrointestinal. - Oxidase de sulfito é especialmente ativa no coração, rins e fígados. - Xantina oxidase é importante para o metabolismo de uma classe de substâncias alimentares conhecidas como purinas. - Também se combina com aminoácidos portadores de enxofre para capturar cobre em excesso, estando envolvido na angiogênese. - Por fazer parte do esmalte dentário é capaz de prevenir a cárie dentária. - Favorece a retenção de flúor no organismo. - Auxilia no tratamento da impotência sexual. - Age na prevenção e profilaxia de alguns tipos de anemia. - Oxidante de gordura. - Auxilia no metabolismo de carboidratos e gorduras.

Fontes alimentares: - Carnes. - Vísceras. - Verduras de coloração verde escura. - Alguns tipos de ervilhas. - Legumes. - Feijão. - Pão. - Leite. - Grãos em geral.

Casos de intoxicação humana por molibdênio são raros. Compostos insolúveis têm baixa toxicidade, contudo o trióxido de molibdênio é um irritante por via respiratória. Procure seu médico.

#Deficiênciademolibdênio #drleokahn

94 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :