Indigestão


Dispepsia

Também conhecida como indigestão, é uma síndrome caracterizada por sintomas que possuem relação com o aparelho digestivo alto, sendo uma manifestação de diferentes enfermidades, principalmente das doenças pépticas. Podemos destacar a gastrite e a úlcera péptica, durante a gastrite o estômago fica inflamado através do consumo de álcool, de medicamentos e até mesmo causado pela presença da bactéria H pylori. Já úlcera péptica ocorre devido à ação do ácido clorídrico na parede dos órgãos. Além disto, o estresse e o hábito de fumar são também fatores a serem levados em conta para o surgimento de dispepsia. Pode ser dividida em: Dispepsia funcional é aquela na qual os sintomas não possuem relação com enfermidades de base orgânica. Dispepsia orgânica é a que possui sinais vinculados a uma doença orgânica. Dispepsia não diagnosticada é a que possui os sintomas ainda não investigados.

Fatores de Risco: - pode ser causada por excesso de álcool; - alimentos condimentados e gordurosos; - comer em excesso e muito rápido; - estresse emocional ou nervosismo; - alimentos com alto teor de fibras; - tabagismo; - excesso de cafeína; - cálculos biliares; - pancreatite, - úlceras e - pelo uso de certas drogas, como: antibióticos, aspirina e drogas anti-inflamatórias não esteroides.

Diagnostico: A dispepsia acomete mais de 25% da população dos países desenvolvidos, é diagnosticada em 10% da população dos EUA a cada ano, sendo mais comum em mulheres dos 16 a 60 anos e nos homens acima de 40 anos de idade. O diagnóstico é feito pelo médico após realizar um cuidadoso exame físico com a finalidade de detectar sinais e sintomas de uma dispepsia. A história clínica do paciente também pode ajudar por este motivo uma conversa e o estudo de exames anteriores pode ser algo positivo. Pode solicitar um exame de fezes para fazer uma pesquisa de verminoses, a endoscopia digestiva com biópsia e ultrassonografia abdominal, para que outros órgãos possam ser avaliados, como o pâncreas e a vesícula biliar.

Sinais e Sintomas: - Queimação e dor no estômago; - Náuseas; - Plenitude gástrica após as refeições; - Sensação de que o estômago está distendido; - Azia; - Má digestão; - Excessos de arrotos; - Saciação precoce.

SAIBA MAIS: - 15% das pessoas buscam atenção médica no prazo de 3 meses de início dos sintomas. - Os sintomas envolvidos são geralmente dores epigástricas e desconforto pós-prandial. - A dor epigástrica é uma sensação desagradável proveniente de lesão tecidual. - O desconforto pós-prandial é uma sensação estranha e parece que a comida ainda está no estômago mesmo após longos períodos. - Doenças que não estão relacionadas com o estômago podem provocar a dispepsia, como a síndrome do intestino irritável. - Mudar seus hábitos alimentares pode aliviar os sintomas. - Tenha tempo suficiente para as refeições. - Mastigue a comida com cuidado e completamente. - Evite discussões durante as refeições. - Evite excitação ou exercício logo após uma refeição. - Um ambiente calmo e descanso podem ajudar a aliviar a indigestão relacionada ao estresse. - Evite aspirina e outros antinlamatórios e se tiver que tomá-los, faça-o com o estômago cheio. - Uma vez que a indigestão pode ser um sinal de uma doença mais séria, pessoas devem ir ao médico se tiverem: vômito; perda de peso ou de apetite; sangue no vômito ou na evacuação; dor severa no abdômen superior direito; desconforto não relacionado a comer; indigestão acompanhada por falta de ar, suor, ou dor radiando para o maxilar, pescoço ou braço e se os sintomas de indigestão persistir por mais de duas semanas.

O tratamento costuma ser efetivo e rápido, procure um médico gastroenterologista diante dos sinais clássicos.

#dispesia #drLeoKahn #doençasdoestomago #Indigestão

23 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :