Cálculo Renal - 85% de todos os cálculos contém oxalato de cálcio


Cálculo Renal

Calculo renal é causado por um aumento de concentrações de cristais minerais no sistema urinário, que vão se agrupando e crescendo progressivamente, causando dor e até interrupção total da passagem urinária. Também chamada de Litíase Renal, podem conter diversas combinações de elementos químicos, aproximadamente 85% de todos os cálculos contém oxalato de cálcio puro ou misto. Um tipo menos comum, com incidência de 8% é causado pela infecção urinária, chamado estruvita ou cálculo infeccioso. Os de ácido úrico são menos comuns e compreende 5% dos cálculos renais, muitas vezes estão associados com a gota ou quimioterapia. Essa doença atinge 15% da população mundial, enquanto que no Brasil acomete cerca de 5% a 12% de ambos os sexos, sendo duas vezes mais comuns nos homens, em todas as faixas etárias, mas com

predominância entre 20 a 40 anos. Pode estar associada a hábitos alimentares inadequados, obesidade, hipertensão arterial, diabetes, síndrome metabólica, doenças cardiovasculares e a insuficiência renal crônica.

SINAIS E SINTOMAS:

- Dor lombar intensa em um dos flancos, que pode se irradiar para a parte anterior baixa do abdome, em direção aos testículos, nos homens, e aos grandes lábios, nas mulheres. - Náuseas. - Vômitos. - Urgência ou desconforto para urina., - Palidez. - Taquicardia. - Sudorese. - Febre. - Sangue na urina. O diagnóstico é realizado pelo médico através do histórico e exame físico do paciente, podendo ser solicitado exames complementares como: Urina, Raios-X, Ultrassonografia, Urografia excretora, Tomografia e Ressonância Magnética.

SAIBA MAIS:

- A população negra tem menos litíase renal que a branca. - O cálculo renal apresenta alta taxa de recorrência de 80% a 100%. - História familiar está presente em torno de 50% dos casos. - É muito sugestivo quando as dores são do tipo cólicas, mas podem ser menos típicas e até assintomáticas por longos períodos, ou mesmo definitivamente. - Quando o cálculo migra, as cólicas se intensificam, mas acalmam se a progressão for interrompida, voltando a doer quando ele se movimenta de novo. - O maior perigo acontece nos quadros assintomáticos com o cálculo alojado no ureter determinando obstrução da via urinária - Alguns fatores dietéticos estão claramente relacionados com a maior produção de cálculos renais. - Se o indivíduo apresenta algum distúrbio metabólico, mudanças no hábito alimentar pode ser a melhor solução. - Está provado que reduzir a ingestão de sal e proteínas tem efeito benéfico sobre a formação de cálculos. - Evite café, bebidas achocolatadas, chocolate, chá preto, mate ou verde, espinafre, nozes, mariscos e frutos do mar. - Uso de refrigerantes ricos em fosfato e suco de tomate favorece a sua formação. - Durante a época do calor que a pessoa transpira mais, perde mais água pela pele, a urina fica mais concentrada, é maior a possibilidade de formar cálculos. - Tome de dois a três litros/dia de líquido, de forma homogênea, o necessário para urinar pelo menos dois litros/dia.

Procure um médico nefrologista ou urologista e em caso de avaliação metabólica um nutrólogo.

#calculorenal #drLeokahn #doençasrenais #pedranosrins

90 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :