Colecistite - Acomete mais mulheres obesas acima de 40 anos.


Colecistite

A vesícula biliar é uma pequena bolsa muscular situada junto ao fígado, aonde é armazenada uma secreção verde-amarelada produzida entre as refeições para facilitar a digestão dos alimentos ingeridos pelo organismo, principalmente gorduras e vitaminas. Dentro dessa bolsa podem ser criados, através de produtos residuais da bílis, alguns cálculos (cálculos biliares) que chegam a obstruir a saída da vesícula ou dos canalículos, provocando a cólica biliar e até mesmo a icterícia obstrutiva. A colecistite é desencadeada em mais de 90% dos casos pela presença desses cálculos, sendo a doença pode ainda ocorrer em resultado de traumatismos ou de complicações de intervenções cirúrgicas anteriores. A freqüência varia entre os dois a sete casos por cada 10 000 pessoas, sendo que 10 a 15% da população mundial apresentam cálculos biliares e desses apenas 15% apresentam sintomas.

Fatores de Risco: - A maioria dos cálculos é formada por colesterol, sendo apenas uma pequena percentagem constituída por bilirrubinato de cálcio. - Acometem mais as mulheres, obesas e acima de 40 anos de idade, podendo ocasionar: Discinesia biliar – quando a bile se acumula na vesícula, causando aumento de pressão e sensação de mal-estar. Colelitíase – formação de cálculos biliares sem infecção. Colecistite – inflamação da vesícula causada pela presença de cálculos.

O diagnóstico é realizado pela história clínica e dos sintomas, sendo que o médico pode utilizar exames de ultra-som, radiografia do abdômen ou tomografia computadorizada, podendo ainda ser necessário a endoscopia.

Sinais e Sintomas: - Icterícia, - Urina escura, - Vômitos, - Febre, - Fezes esbranquiçadas, - Dor abdominal, - Perda do apetite.

SAIBA MAIS: - A bílis desemboca através de alguns canais no intestino a poucos centímetros do estômago e se contrai quando o alimento é digerido. - Em resultado de uma obstrução severa e prolongada, o aumento de volume da vesícula pode ser tão acentuado que pode ocorrer a sua ruptura. - Pode ocorrer ainda o surgimento de pancreatite aguda ou de insuficiência da atividade do fígado. - A estase de liquido biliar permite a multiplicação de bactérias que levam à inflamação. - As análises do sangue mostram aumento dos leucócitos. - Exame clínico muito útil é o sinal de Murphy, que testa a sensibilidade à dor na área. - Diminui a absorção de cálcio e vitamina D. - A mortalidade é de 5%, excetuando os diabéticos e os muito idosos com queda para menos de 1%. - Após a retirada da vesícula não há perdas de função significativas.

Realize exames regularmente e no caso de apresentar alguns dos sintomas procure o médico gastrologista imediatamente.

#colecistite #abdomemagudo #drLeoKahn #doençasdavesiculabiliar

23 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :