Microcefalia


Microcefalia

Malformação congênita ou pós-natal que acomete fetos e crianças, com característica de perímetro cefálico inferior a sua idade cronológica ou gestacional. A microcefalia, por si só, não significa que ocorram alterações mentais ou motoras, os menores com perímetro cefálico abaixo da média podem ser cognitivamente normais, sobretudo se a doença for de origem familiar. Mas na maioria dos casos são acompanhadas de alterações que variam de acordo com o grau do acometimento cerebral, geralmente apresentando atraso no desenvolvimento neuro-psicomotor com acometimento motor e cognitivo (em 90% dos casos) e às vezes nas funções sensitivas da audição e visão.

Pode ser classificada em: -Congênita ou primária – quando está presente no nascimento. -Pós-natal ou secundária - falha do crescimento normal do perímetro cefálico após o nascimento.

Fatores de risco: -Síndromes genéticas e anomalias cromossômicas. -Fechamento prematuro das moleiras e das suturas entre as placas ósseas do crânio. -Tabagismo. -Alcoolismo. -Uso de drogas. -Medicamentos. -Rubéola. -Toxoplasmose. -Herpes zoster. -Varicela. -Citomegalovírus. -Zika vírus. -Irradiação. -Desnutrição da mãe. -Má formação placentária. -Hipóxia neonatal. -Trauma cranioencefálico.

Sinais e Sintomas: -Cabeça significativamente menor do que a cabeça de outras crianças do mesmo sexo e idade. -Perímetro craniano menor do que 33 cm ao nascer ou menor de 42 cm ao completarem um ano e três meses e inferior a 45 cm depois dos dez anos de idade. -Cérebro das crianças portadoras de microcefalia geralmente apresenta partes lisas, em vez de saliências e reentrâncias que lhe conferem a aparência de uma noz. -Déficit cognitivo grave. -Comprometimento visual, auditivo e da fala. -Hiperatividade. -Baixo peso e estatura. -Convulsões. O diagnóstico é realizado durante a gestação nos exames pré-natais, na avaliação clínica de rotina dos recém-nascidos nas primeiras 24 horas de vida. A medida da circunferência da cabeça e sua relação com os dados que constam das tabelas de crescimento padrão para as crianças do mesmo sexo e idade. Podem ser realizados exames complementares de raios X, tomografia computadorizada, ressonância magnética, mapeamento ósseo e testes laboratoriais.

SAIBA MAIS: -O acompanhamento pré-natal deve começar antes de a mulher engravidar para avaliar a saúde dos pais. -Siga as orientações do ginecologista-obstetra durante o pré-natal, procure-o sempre que apresentar febre, alergias, ou sintomas que possam ser confundidos com os da gripe e resfriado. -Evite o uso de álcool, cigarro e drogas durante a gravidez. -Evite criadouros dos mosquitos Aedes aegypti.

#drLeoKahn #Microcefalia #zikavirus

11 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :