Indóis e Isotiocianatos - Ajuda a Prevenir contra o Câncer


Indóis e Isotiocianatos

Produtos originados a partir da degradação enzimática dos glicosinolatos encontrados em vegetais crucíferos possuem propriedades antioxidantes, antiteratogênicas e moduladores do metabolismo estrogênico. Os indóis por si só não são efetivos, quando em contato com o ácido gástrico é ativado produzindo os metabólitos responsáveis pelo aumento da apoptose celular nas células cancerígenas, além de inibir o crescimento de linhagens tumorais. Já os isotiocianatos necessitam ser reduzidos a partir dos seus precursores, os glucosinolatos, conferindo proteção celular contra o estresse oxidativo, além de ativarem algumas enzimas de destoxificação hepática.

Outros benefícios: - Protetor contra o câncer de mama, endometrial, cervical e próstata - Quimioprevenção de tumores malignos gastrintestinais - Auxilia na Papilomatose Respiratória Recorrente - Atividade antiaterogênica - O Indól 3C tem se mostrado um varredor de radicais livres (efeito “scavenger”) - Aumenta a habilidade do fígado no processo de eliminação de substâncias tóxicas e perigosas - Mecanismo de ação aos metabólitos estrogênicos (estrogênico 2-hidroxiestrona) - O I3C tem demonstrado aumentar a proporção de 2-hidroxiestrona em relação a 16-alfa-hidroxiestrona - Inibe também a 4-hidroxilação do estradiol - A 2- hidroxiestrona inibe a oxidação de lipoproteínas de baixa densidade (LDL) - Isto indica que o indol-3-carbinol tem atividade antioxidante indireta. - Parece também inibir a proliferação da musculatura lisa.

SAIBA MAIS: - A clivagem dos glicosinolatos é realizada pela enzima mirosinase. - Somente é ativada após a lesão da planta durante colheita, preparação de alimentos e mastigação. - A microbiota intestinal também é capaz de transformar os glicosinolatos em isotiocianatos. - Vários fatores devem ser considerados para maximizar o aporte de isotiocianatos e índóis oferecido pelo legume crucífero. - É importante notar que os glicosinolatos são muito solúveis em água. - Cozimento com muita água em apenas dez minutos de fervura, reduz pela metade a quantidade de glicosinolatos. - A atividade da mirosinase é muito sensível ao calor. - É preferível cozinhar as crucíferas o menos possível e com um mínimo de líquido. - A melhor forma de aproveitar ao máximo os glicosinolatos é através de comê-los cru, ou cozinhando-os no vapor. - Técnicas de cozimento rápido a vapor, ou ainda o refogado no wok, são maneiras práticas de maximizar a quantidade dessas moléculas. - Produtos congelados sofrem redução tanto do seu conteúdo de glicosinolatos quanto da atividade da mirosinase. - Mastigue bem os legumes antes de engoli-los. - A dosagem usual para administração oral de I3C varia de 200 a 800 mg/dia

Alimentos ricos de glicosinolatos em porção de 100g: - Couve de Bruxelas – 237mg - Couve comum – 201mg - Agrião – 95mg - Nabo – 93mg - Repolho – 65mg - Brócolis – 62mg - Couve flor – 43mg - Couve chinesa – 54mg - Mostarda – 39mg - Raiz forte – 37mg - Rabanete – 85mg - Acelga – 92mg - Mamão – 63mg

#IndóiseIsotiocianatos #drLeoKahn

176 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :