Ácidos graxos insaturados


Ácidos graxos insaturados

Geralmente se apresentam em estado líquido em temperatura ambiente, podendo ser classificados conforme suas ligações na cadeia em mono insaturados e poli insaturados.

Monoinsaturados - Possuem apenas uma ligação dupla entre átomos de carbono ao longo da cadeia hidrocarbônica, estando presentes no azeite de oliva, abacate, amendoim, castanhas, nozes e amêndoas.

Poli insaturados – Possuem múltiplas ligações duplas na cadeia hidrocarbônica, sendo divididos nas famílias ômega 3 / 6 / 9, frequentemente encontrados no formato de óleo vegetal.

Principais benefícios:

  • Reduz o colesterol ruim

  • Diminui triglicérides

  • Prevenção de doenças cardiovasculares

  • Desenvolvimento neurológico

  • Diminuição das doenças inflamatórias

  • Inibindo a formação de trombose

  • Auxilio na imunidade

  • Síntese hormonal

SAIBA MAIS:

Apesar de serem vistas como as vilãs da boa alimentação, as gorduras nem sempre são prejudiciais.

São componentes essenciais da dieta.

Fornecerem maior quantidade de energia, comparada aos carboidratos e às proteínas.

O metabolismo humano pode bio sintetizar ácidos graxos saturados e insaturados da família ômega 9.

O ácido graxo ômega 9, também é chamado de ácido oleico.

É um ácido graxo essencial, o qual participa do metabolismo, desempenhando um papel fundamental na síntese hormonal.

O corpo humano é incapaz de produzir os ácidos graxos insaturados das famílias ômega 3 e ômega 6.

Alimentos que aparecem como fontes expressivas de ácidos graxos da família ômega 3 são os peixes e crustáceos.

Estudos recentes relacionam o uso do DHA (ácido docosahexaenóico) na melhora dos sintomas de depressão, Mal de Alzheimer e distúrbios de comportamento, como a hiperatividade e déficit de atenção.

Existem vários tipos diferentes de ácidos graxos ômega 6.

A maioria é proveniente da dieta como o ácido linoleico.

É encontrado especialmente em azeites vegetais (girassol, milho, soja, etc.) e em alimentos que os contenham, como as conservas em azeite, entre outros.

O ácido linoleico é convertido no organismo em ácido gama-linoleico, sendo, posteriormente, transformado no organismo no ácido graxo araquidônico.

Embora o ácido linoleico, principal componente do ômega 6, exerça funções importantíssimas no organismo, não é conveniente que haja excesso do mesmo.

Como em muitos outros aspectos da alimentação, a moderação e o equilíbrio, neste caso, é um ponto fundamental.

Alimentos ricos em porção in natura de 100g:

Salmão

Sardinha

Camarão

Atum

Arroz integral

Aveia

Farinha trigo

Brócolis

Açaí

Abacate

Azeite dendê

Azeite extra virgem

Manteiga, com sal

Óleo, de girassol

Óleo, de milho

Carne bovina

Frango inteiro

Tofu

Tremoço

Coco

Gergelim

Nozes

Iogurte

Leite integral

Queijo minas

Ovo

#Ácidosgraxosinsaturados #drLeoKahn

14 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :