Infarto Agudo do Miocárdio em jovens


Infarto Agudo do Miocárdio em jovens

Doença cardiovascular que acomete células do músculo do coração, causada pela obstrução temporária ou definitiva de uma artéria coronária. A adesão de um trombo sobre uma placa de gordura ou o espasmo da artéria coronária são as causas da interrupção do fluxo sanguíneo. Normalmente relacionada com indivíduos acima de 40 anos, está ocorrendo em jovens com hábitos de vida pouco saudáveis e sedentarismo. Homens fumantes com idade entre 35 e 39 anos têm uma probabilidade cinco vezes maior de ter um ataque cardíaco do que os nãos fumantes. Atualmente, jovens estressados, fumantes, sedentários e com peso acima do ideal, na faixa etária entre 20 e 40 anos, estão sofrendo mais infartos agudos do miocárdio (IAM). Na cidade de São Paulo, por exemplo, eles representam em média 12% dos casos e essa incidência há dez anos não passava de 6%%. Nos Estados Unidos o índice médio em jovens é de 4%. O acúmulo de gordura originado pelo excesso de colesterol ”mau” no sangue diminui o seu canal de passagem, podendo eventualmente interromper o fluxo e em determinadas situações provoca o IAM. Fatores de risco que estão relacionados com o infarto em pessoas com menos de 40 anos: - Tabagismo - Obesidade - Síndrome metabólica - Hipertensão arterial - Colesterol LDL elevado - Diabetes - Historial familiar de acidentes cardiovasculares - Doença de Leiden (alterações na capacidade de coagulação do sangue) - Insuficiência renal iniciado ainda durante a infância - Doenças autoimunes - Vasculite

Há razões genéticas ou um conjunto de várias doenças que tornam uma pessoa mais propensa a sofrer esse mal súbito, geralmente quando um indivíduo apresenta mais do que um desses fatores de risco acima, encontra-se numa situação de infarto provável. O diagnóstico é feito pela anamnese e exame físico e se ainda assim não for suficiente, é realizado então um eletrocardiograma (ECG) que vai confirmar o IAM. Através de exames de sangue é possível encontrar proteínas específicas do músculo cardíaco, as CK-MB e troponina I ou T, pelo menos seis horas apóso indivíduo ter infartado, confirmando o diagnóstico. Outros exames adicionais incluem: - raios-X de tórax, - ecocardiograma, - angiograma, - tomografia computadorizada cardíaca e - ressonância magnética.

SAIBA MAIS: - Outros fatores que poderão resultar num infarto são principalmente: emoção excessiva, frio intenso, prática de exercício físico de intensidade muito alta e excessiva e o uso de drogas. - Se for daqueles jovens que pensa que agora pode fumar, beber e consumir outro tipo de substâncias descontraidamente, porque ainda é novo e não existem consequências graves, deverá começar a pensar de outra forma. Ao apresentar alguns dos fatores de risco altere seus hábitos de vida e assim diminuirá a possibilidade de infartar. - Cerca de 25% dos infartos em pessoas mais jovens decorre de uma situação de consumo destas drogas. - De todos os IAM menos de 5% acontecem em pessoas com menos de 40 anos. - As principais complicações são: - Arritmia cardíaca, - Choque cardiogênico, - Insuficiência respiratória, - Insuficiência renal, - Parada cardiorespiratória. - As ondas descritas no eletrocardiograma, características de um infarto cardíaco, apresentam uma atividade anormal do coração. - Nunca devemos aguardar os resultados das análises sanguineas para iniciar o tratamento - Durante o infarto cardíaco o paciente "luta" contra o tempo. - É necessário agir rapidamente para evitar as sequelas da doença e salvar a vida do paciente, Faça exames preventivos com seu médico.

#InfartoAgudodoMiocárdioemjovens #drLeokahn

6 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :