Dermatite atópica


Dermatite atópica

Doença inflamatória crônica da pele, também chamada de eczema atópico, sendo um dos tipos mais comuns de dermatite. Essa dermatite tem como característica erupções com prurido e crostas, principalmente em dobras dos braços e face interna dos joelhos, podendo ainda vir acompanhada de asma ou rinite alérgica. A causa é desconhecida, mas a combinação de componente genético, pele seca e irritável com um mau funcionamento no sistema imunológico do corpo esteja entre as causas mais prováveis. Doença típica de bebês e crianças, em 85% dos casos ocorre nos primeiros quatro anos de vida, sendo que em mais da metade destes casos, a inflamação desaparece sozinha e até a adolescência, cerca de 60 a 80% dos pacientes já não apresentam mais o eczema. Apenas 1% dos adultos apresenta essa dermatite com início após a adolescência. Pode ser classificado em três fases:- - Infantil - 3 meses a dois anos. - Pré-puberal - 2 a 12 anos. - Adulta - a partir de 12 anos.

Fatores de risco: - Pele ressecada. - Poeira. - Produtos de limpeza. - Roupas de lã e de tecido sintético. - Baixa umidade do ar. - Frio intenso. - Calor e transpiração. - Infecções. - Estresse. - Certos alimentos.

Sinais e Sintomas: - Pele muito seca, - Prurido, - Lesões escoriadas, - Secreção ou sangramento da orelha, - Alterações na cor da pele, - Pele mais clara ou escura que o seu tom normal, - Vermelhidão ou inflamação da pele ao redor das bolhas.

O diagnóstico é feito pelo médico após o histórico do paciente e familiar, do exame físico completo e com atenção às lesões cutâneas.

SAIBA MAIS: - Não há comprovação científica que o uso de conservantes ou corantes agrava a dermatite. - Cerca de 30% dos pacientes com dermatite atópica podem apresentar alergia a algum alimento, sendo mais frequente nas crianças abaixo de dois anos de idade e nos casos mais extensos e graves. - Os principais alimentos envolvidos são os leites de vaca e de cabra, ovos, peixes, crustáceos, milho e amendoim. - A chave para o controle dessa dermatite é evitar ou reduzir a exposição aos fatores desencadeantes e tratar as crises agudas. - Mantenha sua pele hidratada com óleos ou cremes hidratantes. - Os hidratantes não devem ter álcool, perfumes, fragrâncias, corantes ou outras substâncias químicas. - O umidificador de ambientes pode ajudar. - Evite banhos muito quentes e demorados. - Não use sabonetes diretos na pele lesionada. - Prefira loções de limpeza. - Alivie a coceira usando compressas frias. - Mantenha as unhas das crianças curtas. - Pense na possibilidade de usar luvas leves se a coceira durante a noite for um problema. Procure seu médico dermatologista.

#Dermatiteatópica #drleokahn

22 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :