Síndrome de Burnout


Síndrome de Burnout

É o estado de tensão emocional e estresse crônico provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes. A doença se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso. Entre as principais características da Síndrome está à falta de energia, a sensação de sobrecarga emocional constante e de esgotamento físico e mental. As causas compreendem um quadro multidimensional de fatores individuais e ambientais, que estão ligadas a uma percepção de desvalorização profissional. Isso significa dizer que não se pode reduzir a causa apenas a algum tipo de propensão individual ou genética. O ambiente de trabalho e as condições de realização deste podem também determinar o adoecimento ou não do indivíduo. Alguns autores afirmam que a configuração do caso de Burnout passaria por estágios que vão desde uma necessidade de autoafirmação profissional, passando por estágios comuns de intensificação da dedicação ao trabalho que, levada a consequências extremas, resultaria no esgotamento característico desta síndrome. Entre outros estágios, podemos destacar o caminho que passa pelo descaso crescente com relação às atividades de cuidado de si, como o sono e a alimentação, acompanhados por um recalque de conflitos, caracterizado pelo não enfrentamento de situações que incomodam e pela negação dos problemas. Além disso, passa por um processo de reinterpretação que faz com que coisas importantes sejam descartadas como inúteis. Nessa fase, já se pode falar em uma espécie de despersonalização, uma vez que indivíduo age de formas tão distintas que se torna “outra pessoa”, marcada por sinais de depressão, desesperança e exaustão, ou seja, uma espécie de colapso físico e mental que pode ser considerado quadro de emergência médica ou psicológica.

Sinais e Sintomas: O sintoma típico é a sensação de esgotamento físico e emocional que se reflete em atitudes negativas, como ausências no trabalho, agressividade, isolamento, mudanças bruscas de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, lapsos de memória, ansiedade, depressão, pessimismo, baixa autoestima. - Dor de cabeça, - enxaqueca, - cansaço, - sudorese, - palpitação, - pressão alta, - dores musculares, - insônia, - crises de asma, - distúrbios gastrintestinais todos são manifestações físicas que podem estar associadas à síndrome.

O diagnóstico é realizado pelo médico através do histórico do paciente e principalmente no seu envolvimento e realização pessoal laborial. Respostas psicométricas a questionário baseado na Escala Likert também ajudam a estabelecer o diagnóstico.

SAIBA MAIS: - Pratique exercícios físicos; - Aproveite e desfrute seu tempo de lazer e descontração; - Faça exercícios de relaxamento; - Mude seu estilo de vida; - Em mulheres, é comum alterações no ciclo menstrual; - O consumo de álcool e de outras drogas não afastam as crises de ansiedade e depressão; - Avalie quanto às condições de trabalho estão interferindo em sua qualidade de vida e prejudicando sua saúde física e mental. - Avalie também a possibilidade de propor nova dinâmica para as atividades diárias e objetivos profissionais. - Como a grande maioria dos casos de adoecimento psicológico com consequências de somatização, o tratamento da Síndrome de Burnout deve compreender uma estratégia multidisciplinar: farmacológico, psicoterapêutico e médico. - Profissionais das áreas de educação, saúde, assistência social, recursos humanos, agentes penitenciários, bombeiros, policiais e mulheres que enfrentam dupla jornada correm risco maior de desenvolver o transtorno. É importante que o médico observe se é o ambiente profissional a causa do estresse ou se são as atitudes da própria pessoa que geram a crise.

#SíndromedeBurnout #drLeokahn #doençasdotrabalho

51 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :