Transtorno disfórico pré-menstrual


Transtorno disfórico pré-menstrual

A TDPM é uma manifestação mais intensa da tensão pré-menstrual que prejudica a vida pessoal e profissional da mulher. Essa variação atinge cerca de 2% a 10% de todas as mulheres na idade reprodutiva, estando relacionada a uma resposta fraca das células nervosas ao neurotransmissor serotonina. A alteração do funcionamento desse transmissor neural provoca reações emocionais desproporcionais aos estímulos externos, tais como o humor e regulação do sono. O fator genético parece influenciar essa patologia, mas existe um consenso que a função ovariana e não um desequilíbrio hormonal seja o desencadeador dos eventos bioquímicos relacionados à TDPM no sistema nervoso central e em outros órgãos. As deficiências da vitamina B6, magnésio e aminoácidos, o aumento da ingesta de fibras e ácidos graxos poli-insaturados, a redução de gorduras saturadas (gorduras animais) e de hidratos de carbono simples são importantes no desenvolvimento dos sintomas, assim como alguns fatores sociais.

Sinais e Sintomas: - Depressão ou pensamentos autodepreciativos. - Ansiedade acentuada. - Tensão. - Instabilidade afetiva. - Raiva ou irritabilidade persistente. - Diminuição das atividades habituais. - Letargia. - Fadiga ou acentuada falta de energia. - Excessos alimentares ou avidez por determinados alimentos. - Hipersônia ou insônia. - Descontrole emocional. - Sensibilidade ou inchaço das mamas. - Enxaqueca. - Dor articular ou muscular. - Sensação de inchaço geral e ganho de peso.

O diagnostico é realizado pelo histórico menstrual da paciente, aonde no mínimo cinco dos sintomas devem aparecer entre 2 a 10 dias antes do ciclo menstrual e cessam a partir do primeiro dia da menstruação.

SAIBA MAIS: - A tensão pré-menstrual afeta dois terços da população feminina mundial, enquanto que a TDPM atinge 10%. - Na TPM, a dor de cabeça, sensação de inchaço ou fadiga são mais comuns. - No transtorno é a irritabilidade, humor deprimido e desconforto consigo mesma. - Sintomas do transtorno começam a aparecer de forma difusa alguns anos após o início da menstruação (dos 16 aos 20 anos). - Com o decorrer do tempo, passam a ser mais intensos e evidentes. - O quadro deve se repetir por pelo menos três meses consecutivos. - Pode ser um quadro psíquico por si só, não relacionado ao período menstrual. - Esse transtorno é considerado uma forma de depressão. - A TDPM não tratada pode evoluir para uma depressão não mais cíclica, mas crônica, que acomete a mulher o tempo todo. - A oscilação hormonal comum do período reprodutivo feminino somado à maior inclinação a reagir de forma negativa a estímulos do cotidiano pode precipitar um ciclo depressivo. - Avalie se não há outra mulher na família que apresenta sintomas iniciais. Alimentos que parecem ter importante implicação no desenvolvimento dos sintomas: - Chocolate. - Cafeína. - Sucos de frutas. - Álcool. - Sal. - Chá. - Refrigerante do grupo cola e guaraná. - Leite e derivados. Alimentos que melhoram os sintomas: - Verduras, - legumes, - cereais, - leguminosas e - os alimentos integrais Esses alimentos fornecem parte dos elementos nutricionais adequados ao equilíbrio dos hormônios femininos. O ácido linoleico encontrado em alguns óleos é extremamente útil. Evite o estresse e pratique atividades físicas.

#Transtornodisfóricoprémenstrual #drLeoKahn

17 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :