Pólipo de vesícula


Pólipo de vesícula A vesícula biliar é uma bolsa em forma de pera, com cerca de 8,0 cm de comprimento e 3,0 cm de largura, situado abaixo da parte inferior do fígado, com função de armazenamento da bile. Sua parede é composta por uma túnica serosa, muscular e mucosa (epitélio com micro vilosidades), com um único orifício de entrada e saída, através do qual se comunica com o canal cístico. Os pólipos vesiculares são protuberâncias da mucosa que se projetam para o interior da cavidade vesicular, são classificados em: - Benignos - pseudotumores (pólipos de colesterol, pólipos inflamatórios; colesterolose e hiperplasia); tumores epiteliais (adenomas) e tumores mesenquimatosos (fibroma, lipoma, hemangioma). - Malignos - são os carcinomas da vesícula biliar. Presentes em cerca de 5% da população e acometem mais o sexo feminino a partir da terceira década de vida

Fatores de risco: - Fator genético. - Aumento da secreção de colesterol. - Distúrbios metabólicos. - Histórico de hepatite, colecistite e cálculos biliares.

Sinais e Sintomas: - Maioria assintomática. - Náuseas. - Vômitos. - Icterícia obstrutiva. - Dor no hipocôndrio direito.

O diagnóstico geralmente é realizado por um exame de ultrassonografia abdominal, com sensibilidade e especificidade superior a 90%, mesmo em lesões de pequenas dimensões.

SAIBA MAIS: - Pólipos inflamatórios são pouco frequentes. - Consistem numa reação inflamatória local de proliferação epitelial, associados muitas vezes a colecistite crônica. - Os pólipos de colesterol são a grande maioria e não apresentam potencial maligno. - Nos adenomiomas ocorre aumento da espessura da camada muscular. - O adenoma, apesar de benigno, pode ter um comportamento pré-maligno, tornando-se um adenocarcinoma. - Ele é uma lesão habitualmente solitária, pediculada e pode estar associada à litíase vesicular. - Adenocarcinoma é a neoplasia mais comum, sendo as suas dimensões proporcionais ao risco de malignidade. - É importante diferenciar entre um pólipo benigno e um pólipo maligno ou pré-maligno, devido ao mau prognóstico do carcinoma da vesícula. - O grande desafio é distinguir essas lesões. - Geralmente, pólipos menores que 1,0 cm e assintomáticos são seguidos por 6 a 12 meses com ultrassonografias de controle. - Alguns pólipos podem se projetar pelo orifício vesicular, obstruindo o canal cístico ou os ductos biliares primários, causando colecistite aguda ou icterícia obstrutiva, mas são complicações muito raras. Procure seu médico e faça exames de rotina.

#Pólipodevesícula #doençasdavesícula #drleokahn #doençasdigestivas

104 visualizações

Visto em

    Gostou da leitura? Compartilhe agora e me ajude a proporcionar informações e orientações aos meus leitores :